sábado, 25 de fevereiro de 2012

Mentiras no Divã (Irvin D. Yalom)

mentiras no divã          Irvin D. Yalom nasceu em Washington (EUA) em 1931. Filho de imigrantes russos, viveu toda a sua infância em um bairro pobre. Encontrou seu refúgio na literatura, um mundo alternativo e mais satisfatório. Cursou medicina e se especializou em psiquiatria. Psicoterapeuta e professor emérito de psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford, publicou inúmeros títulos na área acadêmica. Outras obras famosas do autor são Quando Nietzsche chorou e A Cura de Schopenhauer.
          Em Mentiras no Divã encontramos as atividades do atendimento clínico vividas por dois psicanalistas: Ernest Lash e Marshal Streider. Lash era um especialista em psicofarmacologia que, a partir de um caso de má conduta profissional vivido por Seymour Trotter, ex-presidente da Associação Psiquiátrica Americana (APA), se interessa pelo atendimento clínico. Desejoso de inovar em seu método de análise, opta pela honestidade e sinceridade na relação terapeuta-paciente. Nesse contexto se depara com Carol Astrid que, decepcionada com a separação de seu marido Justin, resolve se tornar paciente de Ernest, acreditando que a decisão do marido fora influenciada por ele. Assim, sob o pseudônimo de Carolyn Leftman, por meio de uma história cuidadosamente inventada, Carol tenta seduzir Ernest, a fim de denunciá-lo por má conduta sexual.
          Outra história paralela é vivida por Marshal. Supervisor de Ernest, é um homem de caráter orgulhoso, cego pela cobiça, centrado no sucesso material e obcecado pelo bem-estar. Casado com Shirley, discordava da mulher por esta ser adepta ao ikebana, uma técnica oriental cujo tratamento psicológico das pessoas era feito por meio de arranjos florais.
          Marshal gozava de prestígio na Associação Psiquiátrica Americana. Orgulhava-se pelo seu olhar perspicaz no tratamento de seus pacientes, sempre obtendo resultados satisfatórios. Foi uma peça importante principalmente na descoberta de que Seth Pande, um respeitado membro da associação, havia falhado na aplicação clínica de alguns conceitos da psicanálise. Diante disso, o instituto decide pela expulsão de Pande e convoca seus ex-analisandos para uma espécie de recall, inteiramente grátis.
          Dentre seus diversos pacientes, Marshal se encontra com Peter Macondo, um rico investidor. Macondo lhe oferecia mais do que os honorários de Marshal requeriam e fazia o mesmo com a terapia da mulher, Adriana. O laço de amizade estreitado e as garantias de Peter, levam Marshal a fazer um investimento de 90 mil dólares em ações. Isto o leva a um prejuízo considerável agravado ainda mais quando tenta pegar o fraudatário em flagrante e acaba caindo em um novo golpe. Cobiça e vingança fazem o edifício de Marshal desabar. Seu refúgio eram os diálogos com sua advogada que, por sinal, era Carol.
          Os jogos de poder e os vínculos interpessoais são o pano de fundo no qual Mentiras no Divã se desenrola. Nesse sentido, algumas questões interessantes podem ser suscitadas na mente do leitor: até que ponto o compromisso com a verdade firmado entre analista e analisando é, de fato, cumprido? Ou até que ponto a perspicácia do analista é capaz de confirmar se seu analisando está sendo verdadeiro ou não? Quais os riscos envolvidos nessa relação?
          Enfim, a obra de Yalom é mais uma história intrigante e envolvente do mundo oculto e confidencial dos consultórios psicanalíticos.
 
YALOM, Irvin D. Mentiras no Divã. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006. 404 pgs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário