segunda-feira, 3 de março de 2014

O Brinquedo Misterioso (Luiz Galdino)


            Essa obra possui um conteúdo essencialmente infantil que, julgada por leitores mais maduros, pode até mesmo ser caracterizada como ingênua e enfadonha. Todavia, na simplicidade da construção que o autor faz, o mérito está em transmitir uma mensagem tão necessária aos dias atuais: a fragilidade das amizades virtuais, mesmo que reais.
            Numa certa manhã, as irmãs Mariana (mais nova) e Juliana (mais velha) são surpreendidas pelo cachorro Pitoco latindo incessantemente. Ao verificarem de que se trata, maravilham-se ainda mais ao se depararem com uma criatura semelhante a um robô à porta de casa. Contudo, o estranho visitante as encanta por suas manifestações de alegria. Batizado de Teleco, logo, logo passa a integrar a família, mesmo frente à desconfiança do pai, Otávio, e à desaprovação da mãe, Olga.
            Teleco era uma criatura bastante amigável, porém com traços definidos: manifestava alegria revirando os olhos, era averso aos garotos e gostava de ficar em meio às meninas. Não demorou muito para Cacá e Beto, amigos das garotas, manifestarem o ciúme que sentiam daquele brinquedo misterioso. Mariana e Juliana só tinham olhos para ele e, qualquer manifestação que o atingisse era logo reprimida pelas meninas. Tal comportamento vinha se tornando prejudicial e Dona Olga temia que o excesso de atenção dispensado pelas garotas ao boneco as atrapalhasse no relacionamento com os amigos.
            Mesmo sendo extremamente desajeitado com certas tarefas, uma característica fundamental do robô era sua curiosidade e sociabilidade. Onde quer que estivesse, tornava-se o centro das atenções, por toda a simpatia que irradiava. Durante um jogo de futebol, o professor de física, Gérson, capturara o robô e o examinara no laboratório da escola. Constatou se tratar de um extraterrestre e espalhou a notícia na rádio da cidade. Contudo, o efeito esperado, longe de assustar a população, acabou gerando um descrédito ao professor por acreditar serem possíveis tais ideias. Teleco era a sensação da casa das meninas mas a hora do adeus também se aproximava.
            A história narrada por Luiz Galdino desperta o leitor para a importância de valorizar as grandes amizades, pelo espaço que ocupam em nossas vidas. Chama a atenção para o fato de que o desconhecido não necessariamente é uma ameaça, podendo se tornar uma fonte a mais de felicidade. Teleco era uma criatura agradável e amiga, mas nem por isso dispensaria a presença dos verdadeiros amigos de carne e osso.


REFERÊNCIA LITERÁRIA
Título:       Brinquedo Misterioso, O
Autoria:     Luiz Galdino
Editora:     Ática
Ano:          1994
Local:        São Paulo
Edição:     
Série:        Coleção Vaga-lume
Gênero:     Infanto-juvenil

Nenhum comentário:

Postar um comentário